Menus+
Despertar – Poema sem métrica estruturado em poesia
Leia mais

  Os ventos beijam os cabelos de um mato alto em algum lugar da Terra, neste exato momento. Um espetáculo digno do grupo corpo, que ninguém está a espiar. Vulcões explodem de excitação ao perceberem que seu núcleo conseguiu formar um chão sólido, dentro de um flutuante espaço imaginário. Minha voz é a voz do carbono, depois dele ter se tornado o alquimista da...

Read more