Menus+

MINHA PRIMEIRA RUGA! HISTÓRIA AQUI, CLICAR :)

Postada em Todas as Coisas Fazem Amor |

CABEÇA DE GRAMA: Não olhe para mim! Estou retalhado. Sou a casca dos pedaços, existe algo mais humilhante? Um dia fui um ser cheios de gominhos gostosos, com cheiro de terra molhada. Hoje sou somente um corpo seco dentro de sua memória…

RAFA: Cabeça de grama, se faz você se sentir melhor, você é uma delicia. Doce, cítrico, de rosto macio. Você simplesmente existe. Estava eu, comendo o seu antes, em uma manhã solitária, quando você surgiu em minha mente. Você estava escondido na linearidade da vida, até que eu a baguncei e criei você.

 

 

CABEÇA DE GRAMA: Você fala bonito, posso até sentir o sol! Percebe que você e eu estamos preso no mesmo espaço temporal? No mesmo metro quadrado? No mesmo país, continente, planeta, sistema planetário? Percebe que estamos juntos bem dentro da sua mente? Você e eu não duraremos nada… Não posso nem te comer, mas posso imaginar.

 

 

RAFA: Cabeça de grama, hoje surgiu minha primeira ruga, ela nasceu junto com você, quase no mesmo instante, acho que você mora dentro dessa ruga, estou pensando nisso. Minha primeira ruga tem a sua cara hahaha, é cítrica, tem formato de mato seco e se destaca no sol. Queria te contar que você não morrerá tão cedo.

CABEÇA DE GRAMA: Quem mandou rir tanto? Nunca imaginaria que eu, advindo em minha essência da arte da arte da Terra e da sua, me transformaria em uma ruga no rosto de alguém. Estou chokito!

 

 

CABEÇA DE GRAMA: Que ótimo, não sou mais a casca dos pedaços, sou uma ruga. Eu achei que estava ruim… tudo pode piorar.

RAFA: Tenhamos um pouco de perspectiva. Você é uma ruga cítrica que ainda pode sentir o sol! Você nasceu das minhas risadas, sempre será jovem. Pior são as rugas de trabalho ou de tristeza.

 

 

CABEÇA DE GRAMA: Você sabe agradar um cabeça de grama! Diga ai, que som tem ao nosso redor agora? Não posso ouvir, só ouço os seus pensamentos, afinal, sou uma ruga!

RAFA: Olha, tem o som de galhos se movendo no mesmo lugar, o som de milhares de insetos caminhando aparentemente silenciosamente, o som de um asteroide cortando um espaço sem som, o som do atrito leve de uma mão sobre a pele de alguém encenando o carinho, tem a sua voz em minha mente querendo saber sobre o que não ouve.

 

 

CABEÇA DE GRAMA: Acho que vivemos em um mundo mágico, não acha? Tudo pode ser mágico, eu sou mágico. Se todos fossem artistas ou mágicos como eu, não haveria mais guerra, só amor, amor livre. Uma grande orgia amorosa a céu aberto. Só de pensar, minha boca fica seca… Não me julgue, já sou uma ruga.

RAFA: Cabeça de grama, obrigada por ter nascido e me feito validar a existência mais uma vez, uma ruga de alegria, é um presente. Vamos nos despedir da minha maneira…

 

Smack!!!